8 de dezembro de 2009

Torpor


E se por um momento eu quiser sentir
e nada mais estiver aqui?
Na vida tudo poderia passar menos o que me faz eu.
Se hoje já não sei de mim,
é porque o que há pra saber morreu

Já não mais me quero, já não mais me sou.
Tudo que pulsou: silencia.
Tudo que sonhou: nostalgia.
Tudo que eu quis, quem queria?


As promessas são tão sinceras e tão fugazes
Tão belas no seu primaz instante
que o tempo que se faz encanto
é o encanto que se fica ante
Ao perplexo momento onde o nada
no tudo que prometemos juntos
se faz divino no tempo mistério
se faz fumaça no tempo do mundo


Está além de nós, por favor entenda.
Hoje, morri-me.


Arte: Ron Mueck

4 comentários:

FabioZen disse...

Conchinha hein?Tududi...

ISRAEL "ISHELL" disse...

Um tanto quanto incubus o sentimento exposto no texto, só espero que não tenhas sido um sucubus o escritor...

Se é que me intendes!!!!

Verbal Kahn disse...

comentarios como o do fabio me fazem pensar em parar de escrever
DEUUUS, APERTA O RESET!

Diante de tantos sentimentos, e de duas obras de arte geniais como as do Ron Mueck...

Kaoru Photo Art™ disse...

nossaa muitoooo boa essa sua postagem... curti muitoooo parabens pelo blog....

foi vc mesmo que escreveuuu o poemaaa..?!

esto seguindooo...
e alias... pra segui o meu blog tem a opiçaooo
logooo do ladooo esquerdooo
em baixooo dos peixeee... seguiii la...

abraços



Kaoru Photo Art™
.
http://kaoruphotoart.blogspot.com/

Postar um comentário

Seguidores