8 de dezembro de 2009

Torpor


E se por um momento eu quiser sentir
e nada mais estiver aqui?
Na vida tudo poderia passar menos o que me faz eu.
Se hoje já não sei de mim,
é porque o que há pra saber morreu

Já não mais me quero, já não mais me sou.
Tudo que pulsou: silencia.
Tudo que sonhou: nostalgia.
Tudo que eu quis, quem queria?


As promessas são tão sinceras e tão fugazes
Tão belas no seu primaz instante
que o tempo que se faz encanto
é o encanto que se fica ante
Ao perplexo momento onde o nada
no tudo que prometemos juntos
se faz divino no tempo mistério
se faz fumaça no tempo do mundo


Está além de nós, por favor entenda.
Hoje, morri-me.


Arte: Ron Mueck

Seguidores