23 de novembro de 2009

Martin Page


Martin Page é a melhor mescla entre a ironia refinida e incisiva de um bom crítico socia, com o pragmatismo descritivo projetivo de um bom escritor, e na minha avaliação, é disparado o melhor escritor da nova geração. Suas obras já ultrapassaram a literatura e chegaram ao teatro. Page esteve no Brasil em 2007.
Próximo de completar 35 anos, este francês que é graduado em antropologia, rasga as máscaras de nossa sociedade e de seus atores com extrema categoria. Embora seus livros orbitem sobre a mesma temática, ou seja, como a nossa configuração social definha os grandes espíritos, Page parece ter um repertório inesgotável que cheira constantemente a novo.
Sua capacidade descritiva é impressionante, e a composição entre características materiais e subjetivas transpõe o leitor para dentro do livro, tamanha a identificação causada. Com uma escrita extremamente rica, a obra de Page parece um coletivo de excertos, que por si ou em conjunto, expõe a mesma força crítica. As críticas do autor deixam transparecer um fino toque de humanismo, nos embates simultâneos de seus protagonistas ora consigo mesmo, ora com a sociedade, e em sua obra o drama e a comédia estão consubstanciados.

"Não é possível viver demasiadamente consciente, demasiadamente pensante. Aliás, observemos a natureza: tudo o que vive muito e contente não é inteligente. As tartarugas vivem séculos, a água é imortal, e Milton Friedman está sempre vivo. Na natureza, a consciência é a exceção; pode-se até postular que ela é um acidente, uma vez que ela não assegura nenhuma superioridade, nenhuma longevidade particular. No quadro da evolução das espécies, ela não é sinal de uma melhor adaptação. São os insetos que, em idade, em número e em território ocupado, são os verdadeiros mestres do planeta. A organização social das formigas, por exemplo, é muito mais bem-sucedida do que jamais será a nossa e nenhuma formiga tem cátedra na Sorbonne."
                        (Como me tornei um estúpido, Martin Page) 

Obra Mais Conhecida: Como me tornei um estúpido

11 comentários:

Lady disse...

não conhecia essa pessoa
obrigada por compartilhar
bjsss

Dancer disse...

nossa, acabei de postar no meu blog, um poeminha que fiz sobre uma formiguinha, e realmente acho elas bem mais organizadas e bem-sucedidas

olha, este escritor parece ser melhor que a escritora do crepusculo ( odeio crepusculo e toda a literatura que compõe ele )

ele pensa grande...

bem, agora sim um post que eu entendi oq vc queria dizer xD

bem

abraços =]

MENINA LESBICA disse...

Eu ja tinha dado uma olhada a uns dias atras no resumo desse livro..

Adoreei o post...

Anônimo disse...

Me interessou para ler o livro...


Gostei muito do post!

Parabéns!

Sra.Bates disse...

nossa, q blog com o layout diferente xD

http://amostrasebrindesrecebidos.blogspot.com

☠ BezziFierce disse...

Demorei muito para entender o layout do blog.
Bem diferente, eu gostei!
Obrigado por compartilhar essa obra!

www.cremedentalnavagina.blogspot.com
BezziFierce - Creme Dental na Vagina

@danyhgportilla disse...

gostei muito do layout do blog, bem criativo...
e obrigado por compartilhar isso conosco!

quando quiser, passe por lá...

http://its-all-about-you-baby.blogspot.com

;*

Rejan disse...

muito bacana seu blog (:
Parabéns :D

ISRAEL "ISHELL" disse...

Gostei principalmente da foto do rapaz...
Enigmático, contemplativo, intelectual...

Dá o entender que ele nem tá olhando pra você.

Verbal Kahn disse...

eh pq ele eh vesgo
eauhueahea

Anônimo disse...

Ah, meu livro preferido :)

Postar um comentário

Seguidores